• Uma carta ao cara que desperta meu ciúmes



    Até quem me encontra na fila da balada consegue perceber que eu nunca soube lidar muito bem com relacionamentos. Durante todos esses meses, eu sempre tentava dar um jeito de esconder, de fingir que não tava nem aí, que não me importava. Eu queria parecer forte, desapegado, ser aquele que consegue te beijar e não sentir nada além de tesão, só que no fundo, eu não era assim. E o pior é que nesse mesmo fundo você sabia disso.

    Você sempre soube que eu passava noites em claro só pra te mandar uma mensagem ou então que eu ficava acordado rolando na cama de um lado pro outro enquanto olhava feito um bobo para a tela do celular e pensando em como queria estar do seu lado. Sem contar das vezes que eu saía nas noites de sexta-feira só pra te ver. E eu odiava sair nas noites de sexta-feira, mas eu fingia que estava tudo bem quando te via, e sabe qual é a melhor parte? Tudo realmente estava.

    Todas as vezes que fingia que não te via era só pra me fazer de difícil, pra não fazer você pensar que você era o único. Você sabia que minhas pernas estremeciam quando você passava do meu lado perto o suficiente pra eu sentir o seu perfume, e que meu sorriso de canto de boca nada mais era do que eu tentando disfarçar a vontade de te arrancar um beijo antes mesmo das três da manhã. Meu coração acelerava só de pensar no momento em que a gente se encontrasse, mas eu não admitiria isso nem pra mim mesmo. Quem dirá pra você!!

    Você foi o cara que arrancou vários sorrisos de mim sem ao menos perceber. Você foi o cara que me fez insistir pra todos os meus amigos que não, eu não estava apaixonado. Mas na real, eu sabia que o meu coração não ficava descompassado toda vez que alguém dizia seu nome à toa. Eu sabia que era furada se apaixonar, e era por todas essas coisas que eu nunca quis admitir isso pra ninguém. Só que em meio a todo esse dilema de admitir ou não admitir, eu admito de uma vez por todas que sim, eu tenho ciúmes de você.

    Pode parecer loucura, mas eu literalmente não gosto do jeito que eles te olham, e por mais que eu saiba que em alguma parte aí dentro você sente o mesmo por mim, eu não posso evitar isso. E eu sei que não é culpa sua se eles te rodeiam, mas eu ainda tenho o meu direito de ficar com raiva porque você é lindo e sexy e todos (todos mesmo!!) querem te experimentar. Mas no meio disso tudo você ainda consegue fazer essa bad vibe passar, já que você sabe que eu fico excitado quando você também se demonstra com ciúmes

    Na última vez que a gente se viu, meu coração caiu no chão. Ele parou, por um centésimo de segundo, quando te vi beijando outro e eu senti aquela sensação que já estava acostumado a sentir. Eu sabia que antes disso ter um fim você viria com aquele sorriso e que seria a mesma coisa de sempre. Era como se eu e você estivéssemos preso em um ciclo eterno e depois de toda a tensão eu sabia que não podia mais continuar ali, por isso eu fugi. Fugi de você, de mim, do que eu sentia e do que eu estava destinado a sentir junto com você.

    Eu fugi daquilo que, ao mesmo tempo em que me confortava, também me sufocava. E eu sabia que, uma hora ou outra, eu precisaria parar de fugir. E é por isso que te escrevo essa carta admitindo todas essas coisas que eu já estava cansado de sentir em segredo.