• Eu vou morrer sozinho



    Sabe, cheguei numa fase da minha vida que tudo que eu mais quero é estar sozinho e apreciar a calmaria de estar com a minha própria companhia. Não quero a bagunça de ninguém se misturando com a minha e muito menos quero perder tempo com gente mal resolvida. Descobri da pior forma que as pessoas cansam, e eu sabia que em algum momento eu ia cansar de me importar tanto também. E esse momento está sendo agora.

    É bem melhor gastar meu tempo colocando minhas séries em dia do que tentar ser relevante pra alguém que não está nem aí pro que eu sinto ou penso. Tenho preferido até cuidar das plantas da minha mãe, ler um livro novo em inglês, assistir alguns vídeos engraçados do Diva Depressão durante a madrugada só pra acordar com um bom humor ao ponto de olhar pela janela e pensar no quão grande o mundo é e que eu ainda preciso provar muitos sabores da vida sem rumo. Mas sozinho, porque não existe problema em estar só.

    Isso tudo pode parecer loucura pra quem vê de fora, mas se parar pra pensar, não tem nada melhor do que pode sair de dentro de mim de vez em quando pra explorar todas a minhas versões e mesmo assim ter a certeza de que eu tenho um lugar pra voltar quando tudo isso for embora, porque quando eu passei a reconhecer que eu sou o meu próprio abrigo, nunca mais me abandonei em algum canto escuro dentro de mim pra insistir em entrar na vida de alguém.

    E não pense que só porque eu cheguei ao ponto se assumir e aceitar todas essas coisas eu não quero mais viver uma vida à dois com muita parceria e reciprocidade, muito pelo contrário, não desisti de encontrar alguém interessante o bastante pra rir dos meus desastres e provar os meus gostos mais estranhos, pra performar todas as músicas da Taylor Swift comigo enquanto lavamos a louça ou até mesmo pra me contar sobre os seus planos e dividir comigo seus sonhos.

    Concluir que eu vou morrer sozinho não significa que eu desisti do amor porque eu nunca vou desistir dele, muito menos de encontrar alguém que eu consiga enxergar afeto. Mas acontece que eu só não quero mais (e nem sinto falta de) procurar esse tal alguém, porque pra mim, tê-lo do meu lado não é mais uma necessidade de vida e se por um acaso eu acabar encontrando, tudo bem. Se não, tudo bem também, eu tô bem assim sozinho.