• Uma carta do fundo do meu coração



    Eu não sei por onde começar a escrever isso aqui, mas eu sinto que por algum motivo eu preciso. Uma vez me disseram a seguinte frase: 'Se o coração tá cheio, coloca pra fora!' e desde então eu venho cada vez mais tentando colocar isso em prática. Pra ser bem sincero, eu não estava sentindo falta de escrever no blog, afinal, eu tenho um livro pra escrever, então ficar sem escrever não era um problema pra mim. Inclusive, eu estava me acostumando a justificar esse meu afastamento do Its Firmino com um 'Estamos em 2018, ninguém mais liga para ler textos na internet'. Só que tem gente que liga sim e esse tempo que fui cansando do blog eu fui vendo que desabafar minhas dores, mágoas e alegrias na internet já fazia parte da minha rotina.

    Se você aí reparar bem, os últimos posts aqui do blog tem uma diferença enorme da data de um pro outro, e isso se deve à tudo que eu falei no parágrafo acima. Acho que a pior coisa na vida de um blogueiro é quando começamos a focar muito em um projeto novo e acabamos esquecendo os antigos. Bom, pelo menos foi isso que aconteceu comigo. Cada vez que eu abria a página em branco pra começar um post novo, vinha alguma coisa na minha mente que me distraía e me fazia esquecer qual o meu propósito naquele momento. Dilemas com o crush, separação de amizade, problemas pessoais que não vem ao caso... É engraçado como que nós deixamos nos levar por coisas que, na maioria das vezes, são tão banais e acabam nos tirando do nosso foco.

    Desde o último texto que eu postei, onde eu aparentemente passei a aceitar que o amor do meu pseudo ex-alguma coisa não era tudo que eu precisava, tenho tentado ser mais pé no chão e aderi essa tentativa pro meu 2018. Em questão, o fato é que botei na minha cabeça que ficar sozinho por um tempo era essencial pra eu me curtir mais, me amar mais e me conhecer mais. Sem contar que eu fico sozinho numa boa, o problema é que no meio disso tudo eu realmente acreditei que pra eu ficar sozinho e em paz eu precisava ficar também longe de você que me acompanha. Desculpa por isso, não foi a minha intenção e eu prometo que dessa vez eu vou de verdade me dedicar cada vez mais à tudo que eu criei aqui, porque enquanto tiver uma pessoa afim de ler o que eu escrevo, eu sei que valerá a pena separar um tempo do meu dia pra compartilhar o que sinto.

    Mesmo que pareça, o que eu estou querendo te contar é que eu não estava triste. O ano que passou foi um dos anos mais incríveis da minha vida, tanto que na virada eu só sabia chorar e agradecer por ter sido muito feliz da forma que eu fui. Só que eu não estava inspirado o suficiente para escrever sobre nada além do meu livro e isso que me desmotivou do blog por um tempo. Tudo bem que eu poderia entrar aqui e postar qualquer um dos textos que eu tenho engavetado, mas essa ideia não me agrada muito, pois se eu não postei no momento em que eu estava passando por aquilo, por quê eu postaria agora? Isso não faz sentido!

    Provavelmente, você deve estar se perguntando o motivo d'Eu ter aparecido aqui do nada escrevendo esse monte de coisa, né? Mas deixa que eu te explico! Vim aqui dizer pra você, que já se sentiu desmotivado e/ou pensou em desistir de algo que você gosta, que tá tudo bem se sentir assim. De verdade, tá tudo bem. É normal em algum momento da vida esse tipo de coisa passar pela nossa cabeça, mas aí vai de você se deixar levar pra sempre por causa disso ou aproveitar isso mas sabendo que em algum momento o sinal vermelho irá se apagar e você terá que reerguer a sua cabeça pra seguir o sinal verde que você tanto esperou, porque tentar achar o lado bom de tudo não é utopia, é uma escolha - e eu a faço todos os dias.